Diferenças e semelhanças entre Yoga Indiano, Yoga Tailandês e Thai Massagem

eBooks | Blog | Cursos e workshops | Newsletter


Diferenças e semelhanças entre Yoga Indiano, Yoga Tailandês e Thai Massagem

Yoga Indiano

Embora não seja nenhum segredo, ainda é desconhecido por bastante gente o fato de que o Yoga Indiano consiste em quatro caminhos clássicos: Jnana Yoga, Bhakti Yoga, Karma Yoga e Raja Yoga. No Ocidente, o que chegou até nós foi, de forma geral, apenas o Yoga “físico”: o Raja Yoga, e muitas vezes presume-se que o Raja Yoga = Yoga.

Mergulhar profundamente nas diferenças entre as várias linhagens de Yoga é um assunto à parte, mas o que hoje chamamos de Asthanga Yoga, Kriya Yoga, Hatha Yoga, Pranayama Yoga, Vinyasa Yoga, Kundalini Yoga, Iyengar Yoga, Bikram Yoga, entre outros, são derivados principalmente do Raja Yoga como revelado por Patanjali em seu famoso texto “Yoga Sutras of Patanjali.”

O objetivo do Raja Yoga é chegar a um certo cultivo da mente usando a meditação e, através da meditação, alcançar a Libertação ou Iluminação. Mas, para poder meditar, isto é, para chegar a um estado concentrado e depois meditativo, é preciso praticar uma extensa gama de Asanas (posturas) e Pranayamas (exercícios respiratórios).

Ao longo dos anos, estas Asanas e Pranayamas foram agrupadas em uma variedade de estilos de Yoga, como mencionado acima. E muitas destas posturas e técnicas de respiração também são encontradas no Yoga Tailandês (Ruesi Dat Ton), e consequentemente, na Thai Massagem (Nuad Boran).

É por causa deste aspecto que a Thai Massagem também é conhecida como “Thai Yoga Massage” (Massagem de Yoga Tailandês), “Passive Yoga” (Yoga Passivo) ou ainda “Yoga for lazy people” (Yoga para Preguiçosos).

Massagem Tailandesa e Yoga Tailandês

A história da Massagem Tailandesa e do Yoga Tailandês mostra sua origem emergindo na Índia. Métodos tradicionais de cura e exercícios mentais e físicos se espalharam junto com o Budismo através do resto do continente asiático; com isso, uma integração muito específica de um “healing touch” (toque de cura) foi gradualmente desenvolvida, terminando em sua forma atual na Tailândia.

Assim sendo, os preceitos da Medicina Tradicional Tailandesa foram inicialmente influenciados e formados por conceitos ayurvédicos e pela filosofia do Yoga e, posteriormente, por várias contribuições conceituais e práticas de curandeiros originários do Nepal, China, Tibete, Mianmar, Laos, Camboja e claro… da própria Tailândia. Esta mistura de influências indianas, chinesas e dos povos nativos do Sudeste Asiático, geraram as posições de Thai Yoga, e através delas, a Thai Massagem.

Em grande parte, são as transições suaves entre posturas de Yoga que dão à Massagem Tailandesa a sua atraente graciosidade. É esta mistura magnífica de massagem clássica, movimentos rítmicos, acupressão e posições de yoga executadas através de transições perfeitas, que provavelmente fazem da Thai Massagem a mais completa e versátil forma de terapia corporal.

Mas é claro que não é pela beleza que as posturas de yoga são usadas na Massagem Tailandesa. A base filosófica é a mesma que no Yoga, seja indiano ou tailandês. O objetivo é “abrir”. Trabalhar as linhas de energia (Sen lines), esticando-as e alongando os músculos, os tendões – os tecidos em geral.

Usam-se as posições do Yoga Tailandês (que por sua vez tem, em grande parte, origem nas Asanas do Yoga indiano) para aumentar a flexibilidade e a amplitude de movimento, abrir o tecido para melhorar o suprimento de sangue e, assim, melhorar a nutrição e a qualidade terapêutica da sessão.

Diferenças e Semelhanças

Os paralelos entre o Yoga Indiano e o Tailandês são óbvios. Algumas Sen Lines (linhas de energia da Medicina Tradicional Tailandesa) possuem os mesmos nomes das Yoga – Nadis (linhas de energia do Yoga Indiano, canais de Prana) e são descritas com as mesmas trajetórias dos Yoga – Nadis. E por sua vez, estas Sen Lines são a base teórica da Massagem Tailandesa.

Porém, a grande diferença entre praticar Yoga ou receber uma Massagem Tailandesa é que na Thai Massagem é o terapeuta que coloca o receptor nas posturas de yoga. E, ao fazer isso, ele pode ir mais fundo, ajudar o receptor a se abrir mais, a se alongar mais. O receptor não precisa do esforço de outras partes do corpo para se colocar em uma certa posição.

É exatamente por isso que a Thai Massagem é chamada de “Yoga passivo” ou “Yoga para preguiçosos”, pois significa receber e colher os benefícios das posições sem esforço extra, apenas estando aberto e se entregando à sessão.

Muitas vezes os clientes, após uma sessão de Thai Yoga Massagem, confirmam se sentir como se tivessem feito Yoga. Mas sem o esforço extra, um yoga sem suar. Sem assistir o professor e sem se preocupar em fazer uma postura corretamente.

Assim, compreendem-se claramente as influências entre o Yoga Indiano, o Yoga Tailandês e a Massagem Tailandesa ao longo dos séculos. As três modalidades tem muito em comum, mas certamente possuem suas especificidades.

Entretanto, o que é realmente específico na Massagem Tailandesa é esta possibilidade de um compartilhamento profundo entre o terapeuta e o receptor. Duas almas espelhando uma à outra simultaneamente, expondo uma à outra suas forças e fraquezas – sem julgamento, sem repreensão. Apenas se abrindo e começando a se curar, e tornando-se unas novamente.


Todos os nossos artigos em português