Fundamentação Teórica do Yoga Tailandês (Reusi Dat Ton)

eBooks | Blog | Cursos e workshops

Thai Massage School of Chiang Mai | Review Thai Yoga Massage School Metta Advertise With Us! Apple Massage School Koh Samui
Fundamentação teórica do Reusi Dat Ton
© Helissa Grundemann

Os fundamentos teóricos do Yoga Tailandês e da Thai Massagem são baseados no conceito de linhas de energia (Sen Energy Lines) invisíveis que atravessam o nosso corpo. Dez dessas linhas são especialmente importantes: as “10 Sen” ou Sib Sen.

As bases dessa teoria estão na filosofia (indiana) do Yoga. O Yoga declara que a energia vital (chamada Prana) é absorvida pelo ar que respiramos e pelos alimentos que ingerimos. Ao longo de uma rede de linhas de energia (Prana Nadis, ou Yoga Nadis), o ser humano recebe então essa energia vital.

Essas linhas de energia são invisíveis e não podem ser verificadas anatomicamente. Elas formam uma espécie de “segunda pele”, um segundo corpo além do corpo físico. Este corpo, chamado Pranamaya Kosha ou “corpo de energia”, contém uma infinidade de linhas de energia, acredita-se que cerca de 72.000.

Se o número de linhas de energia é exatamente 72.000 permanece incerto, mas dessa enorme quantidade a terapia corporal Tailandesa selecionou 10 linhas principais, que possuem pontos de acupressão importantes. A massagem, alongamento e aplicação de pressão nesses pontos possibilita o tratamento de certas doenças ou o alívio da dor.

Esses pontos de acupressão podem ser considerados como “janelas” no corpo. Essas “janelas” permitem uma troca de energia cósmica através da qual o corpo humano é mantido em um equilíbrio energético com a energia do universo.

Distúrbios no fluxo de energia resultam de uma insuficiência de Prana, o que, por sua vez, leva à doença. Trabalhar nas linhas de energia com massagem pode quebrar os bloqueios, estimular o fluxo livre de Prana e ajudar a restaurar o bem-estar geral.

Em termos gerais, esta teoria de linhas de energia e distribuição de energia vital pelo nosso corpo é também encontrada nos sistemas chineses de acupuntura e acupressão e no sistema japonês de Shiatsu, que evoluíram a partir de conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa – onde as linhas de energia são chamadas de meridianos.

A origem desses sistemas está envolta em mistério. Alguns praticantes sustentam a opinião de que suas raízes também estão na filosofia indiana do Yoga, trazida à China por Bodhidharma, o santo indiano que estabeleceu o zen-budismo na China – mas tal origem é muito disputada pelos chineses.

Mas seja qual for a origem do conhecimento tradicional chinês, há pouca dúvida de que a teoria dos 10 Sen é baseada na tradição indiana e não nas tradições chinesas. Essa relação é manifestada até mesmo na terminologia que os tailandeses usam, com muitas palavras obviamente derivadas do sânscrito, a antiga linguagem espiritual da índia.

Por exemplo, as três primeiras linhas de energia do sistema Sen tailandês – Sen Sumana, Sen Ittha e Sen Pingkhala – não são apenas linguisticamente semelhantes às linhas indianas Sushumna Nadi, Ida Nadi e Pingala Nadi, mas também seguem caminhos muito semelhantes ao destes Prana Nadis.

Parece bastante claro que os Sib Sen possuem paralelos com os meridianos chineses e principalmente com os Prana Nadis indianos. Também é evidente que estes grupos de linhas de energia possuem um sistema similar ao nosso sistema nervoso, sistema linfático, sistema circulatório e composição muscular. É possível que estes antigos sistemas, como o Sib Sen, sejam apenas uma maneira antiga e tradicional de descrever o layout dos nossos sistemas corporais.


Todos os nossos artigos em português